– O Poder Da Vontade –

A resposta sempre foi simples. Um pouco de educação e conhecimento são suficientes para chegar a ela.

Nós espíritas podemos compreender um pouco melhor, mas custamos a perceber que a resposta estava diante do nosso nariz, diante dos nossos olhos hipermetropes.

Sabíamos que o planeta entraria em fase de regeneração, ignorando como isso se daria se os trabalhadores da luz eram tão poucos, e tão poderoso se achava o mal sobre a Terra.

Sabíamos que haveria luta, mas quais as armas legítimas do cristão para empreendê-la?

Sabíamos pelas obras de Paulo Henrique de Figueiredo, que nos resgatou a obra de Anton Mesmer, que a vontade do médico, em pureza de Espírito, em associação com a vontade e confiança do enfermo levam à cura das enfermidades. Outro notável espírita, León Denis, destacou a vontade como especial e ainda desconhecida e inexplorada potência da alma.

Assistimos na rede cibernética mundial a febre das hashtags[1], que criam campanhas contra ou a favor de pessoas, organizações ou propostas e permitem, contabilizadas, verificar a adesão que auferem nas redes sociais.

Sabemos por experiência adquirida e observada em conformidade com o texto evangélico, que aquilo que desejamos ao próximo, atraímos para nós: “Tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” [2]

Sabemos que o exterior reflete o interior. O exterior desagradável vem para nos convidar a mudar aquele mesmo desagradável dentro de nós. Assim, o mal do mundo reflete o mal que há dentro de nós. Isso é difícil de compreender para aquele que não crê em vidas passadas ou se julga totalmente isento de maus pendores.

*     *     *

A chave para a regeneração do mundo, a arma mais potente do cristão, pode estar na própria palavra regeneração.

Se eu não gosto do partido comunista chinês, posso me dirigir a ele e dizer: – Regenere-se Partido Comunista Chinês! Ou criar uma hashtag #RegenerateYourselfChineseComunistParty. Se a população chinesa, por sua vez, não gosta do Ocidente, surgiria outra expressando: #RegenerateYouselfWesternCivilization.

Vejam que ninguém deseja mal a ninguém, porém se expressa uma restrição que se faz ao elemento exógeno, surgida no relacionamento entre ambos, mas apelando para o seu aperfeiçoamento, o que é igualmente benéfico para ambos. Não surge, igualmente um ‘karma’ ou retorno negativo. O que vale para um, vale para o outro. O que se preconiza ou deseja para um pode, aplicar-se sem dano e, de forma positiva a quem expressou a restrição/exortação.

Aplicado a tudo que nos desagrada no mundo pode resultar no aperfeiçoamento do mundo e de cada um de nós, antes.

Pode-se acreditar que tal estratagema é um ardil pueril, infantil. Não estamos descartando que se utilize outros, supostamente mais eficientes, mas apenas criando uma oportunidade aos que, por convicção ou cansaço, não desejam nem acreditam mais na atitude de agredir, embora reconhecendo a justiça da luta, e não queiram adotar a ofensa como arma legítima.

Há também um pré-requisito à validade dessa estratégia que já mencionamos antes: a pureza de coração, o propósito elevado, o nível de moralidade alcançado, produzirão resultados correspondentes e proporcionais rumo à situação desejada. A oração feita com sentimento alcança maiores alturas, a mera repetição de palavras é simples ladainha – carece de energia psíquica.

Grato pela atenção.

#RegenereSe

Alguém que veio para ajudar.


[1] União de um termo com o símbolo da cerquilha (#) usado nas redes sociais com o objetivo de direcionar o usuário para uma página de mesmo assunto.

[2] Gálatas 6.7.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s